Professor aposentado fora do Fundeb é o retrato de um Brasil que não valoriza o legado dos seus educadores

*Por Walneide Romano

No dia 21 de julho, a Câmara dos Deputados aprovou, por ampla maioria, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 15/15, que torna permanente o Fundo de Desenvolvimento e Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Entre os principais ganhos do projeto está o aumento da participação da União no fundo, que passa dos atuais 10% para 23%, de forma gradativa ao longo dos próximos seis anos (2021 a 2026). Porém, o texto aprovado cometeu um verdadeiro desrespeito aos educadores ao vetar o uso dos recursos do Fundeb para pagamento de aposentadorias e pensões, deixando de fora profissionais que dedicaram décadas de suas vidas nas salas de aula e lutavam pelo devido reconhecimento.

Em uma iniciativa da Associação de Professores Aposentados do Magistério Público do Estado de São Paulo (Apampesp), foi entregue a todos os deputados federais um abaixo-assinado virtual com quase 100 mil assinaturas, vindas de todos os Estados do Brasil, pela inclusão do professor aposentado no novo Fundeb. O número expressivo de assinaturas não foi suficiente para sensibilizar os deputados, deixando os professores relegados à Previdência geral. Professores aposentados também conquistaram mais de 140 moções de apoio em Câmaras Municipais de todo o Estado de São Paulo, mas os apelos não foram ouvidos.

Especialistas tratam o Fundeb como fundamental para reduzir as disparidades da Educação no Brasil, mas ao rejeitar a possibilidade de uso dos recursos do fundo para o complemento de aposentadorias o pensões, o texto adota uma postura excludente e discriminatória. A situação do professor aposentado no nosso país é grave e, ao excluí-lo, parlamentares incorrem em uma grave injustiça social. É este o futuro que mostraremos aos professores em atividade? É este o legado que deixaremos aos que dedicaram décadas da vida nas salas de aula?

Aprovado pela Câmara em dois turnos, o texto já está no Senado Federal como PEC 26/2020, sob a relatoria do senador Flávio Arns (Rede-PR). Agora, cabe aos senadores corrigirem este grave erro cometido pela Câmara, a fim de que o Fundeb cumpra a sua missão de valorizar todos os profissionais da Educação pública, sem disparidades.

Walneide Romano é pedagoga, professora de História e Geografia e presidente da Apampesp

18 Comentários para “Professor aposentado fora do Fundeb é o retrato de um Brasil que não valoriza o legado dos seus educadores”

  1. É inacreditável que tenha acontecido tal retrocesso. Os professores que estão ativos hoje serão os aposentados amanhã. Já recebem pouco na ativa; receberao menos na inatividade.

  2. Anotar os nomes dos belezinhas e dar o trôco nas próximas eleições. Somos muitos para fazer campanha . Os ativos também,próximos aposentados.

  3. Há vários anos o salário do professor aposentado vem perdendo poder de sobreviver.
    É muito triste o descaso com que somos tratados depois de dedicar ( no meu caso 31 anos) amor e formando pessoas de bem.
    Somos tratados pelos nossos representantes governamentais ( todos ja passaram pelas nossas mãos) como se não fossemos nada. Um lixo deixado no canto. Não serve para mais nada.
    Lamentável nossa situação. Depois vem pedir voto.

  4. Pois é,aos aposentados nada.So serão lembrados nas eleições.
    Acreditem os dep estaduais estão ” on LINE” e houve aumento de gastos principalmente combustível,isto perto de sessenta e tra, lá,lata.No entanto o décimo terceiro ou seja metade não há verba…..e daí reclamar a quem.

  5. Senhores Deputados nossos agradecimento para recusa de vocês será nas urnas . Aguardem ! ! !

  6. Vamos bem busca do nosso direito, não vamos nos curva diante desses políticos corruptos, pois saberemos cobrar na hora do voto, aguardem.

    1. Nossa profissão é de máxima importância para o país principalmente na atualidade ,pois ela leva a todas as crianças a terem atitudes de verdadeiras atitudes e valores que a sociedade precisa para sermos homens de bem. E todos sabemos que demos nossas vidMariaas ao ensino desta qualidades , presenciamos ótimos profissionais que passaram em nossas mãos,Por isso merecemos sermos beneficiados pelo FUNDEB

  7. É verdade o descaso é tanto que nos envergonha, tantos anos de dedicação sem nenhum legado, lamentável a aposentadoria de um professor da rede pública, não atende as nossas necessidades. Espero que nossos esforços sejam reconhecidos, afinal somos merecedores de aplausos pelo empenho.

  8. Nós colocamos os deputados na câmara para nos representarmos mas ele só representam eles mesmos. Só nos reconhecem quando vem pedir votos em cima de palanques. Prometem muito mas nada faz ao chegar lá em nosso favor. Mas a próxima eleição é em 2022 . Não e possível reeleger quem nos esqueceu quando chegou a onde queria chegar.

  9. Esse éo país que os que deveriam defender a nossa classe, acho que se esqueceram que passaram por mãos de um professor, onde trabalhamos 30 horas semanais , formando cidadãos, pagando nossos impostos para sustentar essa corja de vadios que vivem as custas do povo brasileiro.

  10. Estou muito triste pela não inclusão dos professores aposentados no FUNDEB aprovado tanto na Câmara como no Senado. Era o meu sonho e de muitos aposentados na Educação estarem incluídos no novo FUNDEB. Será que teremos ainda essa chance? Tomara Deus!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *